HowTo, Segurança

Infraestrutura para Aplicações Web Seguras – Motivação

A Web é a porta de entrada de todas as empresas. Quando você deseja obter informações sobre uma cooporação ou um produto, intuitivamente você acessa o Google e busca o site da empresa/produto desejado.

Quem não disponibiliza informações sobre seus produtos/serviços na Internet está fadado ao fracasso, isso significa que a cada dia mais e mais administradores estão montando suas infra-estruturas com o único objetivo.

DISPONIBILIZAR INFORMAÇÕES NA INTERNET.

Para confirmar a observação acima leia a entrevista feita pela Information Week com o CIO da Casas Bahia Frederico Wanderley.

O grande questão é E A SEGURANÇA? Será que ao pensar em disponibilizar suas informações na internet estas cooporações se preocupam se elas estão disponíveis, integras e confidenciais?

Será que o administrador da rede está preocupado em fortalecer o sistema operacional e os serviços? Será que o desenvolvedor do site está preocupado que sua aplicação seja escrita obdecendo criterios básicos de segurança?

Vocês poderiam me responder antes de clicar nos links abaixo. Qual a relação existente entre Google, Microsoft, HSBC e Sony?

Google

Microsoft

HSBC

Sony

Resposta: Todas elas sofreram defacement. Todas elas tiveram suas portas de entrada invadidas e usavam Linux.

Antes que venham uma avalache de trolls, isso não significa que o Linux é inseguro pois todas as aplicações foram atacadas através SQL Injection .

Nesta série de 3 artigos quero ajudar meus irmãos SysAdmins passando uma série de referências de como manter uma infraestrutura para aplicações Web segura. Só que o SysAdmin não é nenhum mestre dos magos pois se o sistema estiver todo reforçado e a aplicação for desenvolvida “nas coxas” seu trabalho foi jogado no lixo.

Na 1a parte abordaremos como preparar o sistema básico ( S.O. ) seguindo boas práticas simples e efetivas. Na 2a. parte abordaremos como montar e manter um SGBD de forma segura e para finalizar abordaremos como desenvolver e testar aplicações web com foco em segurança.

OBS: O objetivo dessa série de artigos não é virar um tratado de segurança de aplicações web. A intenção é compartilhar minha experiência e aprender com a experiência dos leitores. Como não sou DBA, nem desenvolvedor posso me enganar em alguns destes assuntos e peço a toda a comunidade que contribua tornando estes artigos os mais completos possíveis.